domingo, 15 de julho de 2018

Quando nascemos tudo que nossos pais passaram já vem marcado no nosso inconsciente. Não apenas nossos pais, nossos avós, bisavós e tataravós também, essas marcas vem nas nossas células, as quais não vão ter um ritmo vital como deveriam, ou seja, já vem com cicatrizes emocionais. Conforme eu for explicando, vou dar alguns exemplos.
Na microfisioterapia temos um mapa para hereditariedade familiar, o fisioterapeuta irá ver, através de pequenos toques ao longo do braço do paciente, qual geração passou por um trauma, que pode ser gerado de forma emocional, ou física (intoxicações). Isso poderá acarretar na pessoa qualquer sintomatologia, então entramos com a leitura, depende de como seu ancestral viveu aquele trauma, se foi algo vital o tecido do endoderme que será atacado, se foi uma  ataque a integridade (se sentiu ferido), mesoderme antigo, uma impotência com desvalorização a mesoderme nova, uma separação com perda de território a ectoderme.
Afinal o que é endoderme, mesoderme e ectoderme? Na microfisioterapia chamamos de tubos, que são os tecidos embrionários, quando estudamos a embriologia entendemos perfeitamente. 
Mas voltando ao exemplo dos nossos ancestrais, tudo está marcado nas nossas células, depois iremos identificar o que esta marca causou no nosso organismo então percorremos as vias, para saber que (exemplo: aquele com problema de bola na garganta que o meu esôfago, já vinha do seu antepassado, que teve de engolir muitos sapos).
Assim continua o tratamento procurando problemas na vida fetal, infância, adolescência, vida adulta. 

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

AS 5 LEIS BIOLÓGICAS

PRIMEIRA LEI BIOLÓGICA

Primeiro Critério
Todo Programa Biológico Especial e Significante da Natureza (SBS) tem sua origem a partir de um DHS (Dirk Hamer Syndrome), que é um evento traumático, um choque conflituoso grave, altamente agudo e dramático, o qual ocorre simultaneamente em três níveis: PSIQUE - CÉREBRO - ORGÃO.
O DHS pode ser acionado, por exemplo, pela perda inesperada de um ente querido, uma separação imprevista, um diagnóstico ou prognóstico para os quais não se está preparado, um pânico da morte súbita, uma raiva ou preocupação inesperada, uma repentina sensação de abandono, um medo, algo inesperado ou ameaçador.
O choque conflituoso imediatamente interrompe as funções biológicas normais do organismo e afim de lidar com o acontecimento inesperado, o cérebro ativa o programa biológico especial da natureza (SBS), criado exatamente para lidar com esta situação em particular. O momento em que o DHS ocorre, todo o organismo está envolvido.
No nível psíquico: Psicologicamente nós experimentamos o estresse emocional e mental.
Nível cerebral: No momento do DHS, o choque conflituoso atinge uma área específica no cérebro causando uma lesão que é claramente visível em uma tomografia computadorizada do cérebro como um conjunto de anéis concêntricos (imagem que se assemelha a um alvo). Tal lesão anelada é chamada de Foco de Hamer. A localização exata do Foco de Hamer é determinada pela natureza do conflito. Exemplo: um conflito de separação sempre impacta o córtex sensorial. O tamanho da lesão é determinado pela intensidade e duração do conflito.
Por que conflitos específicos sempre impactam uma área definida no cérebro?
No curso da evolução do cérebro, cada área foi programada com um programa de resposta biológica especial permitindo que o organismo possa combater uma situação de emergência inesperada. Poderíamos imaginar uma retransmissão, o cérebro como um aglomerado de células que são os receptores e transmissores. No momento do choque, as células do cérebro recebem a confirmação do conteúdo do conflito para o qual estão programadas e, em seguida, transmitem um sinal bioquímico para as células do corpo correspondentes. A relação entre o choque de conflito, a área do cérebro e o órgão é sempre inequívoca.
Nível de órgãos: O órgão pode responder ao choque ou ao conflito com uma multiplicação celular (crescimento do tumor) ou diminuição de células (osteólise, necrose, ulceração) ou ainda com perturbação funcional (diabetes, paralisia motora, deficiência visual ou auditiva) dependendo de qual camada do cérebro recebe o choque e do tipo de tecido que está envolvido (endoderma, ectoderma, mesoderma – tecidos de origem embriológica). Para cada tipo de conflito, há um tipo específico de doença e uma área específica no cérebro a partir da qual, os processos são controlados.
Exceção: Desnutrição, envenenamento, ou lesões que podem resultar em disfunção de órgão (s) - sem DHS!
O Segundo Critério
No momento do DHS, o conflito biológico determina a localização do SBS (programa biológico especial da natureza) no cérebro, com o Foco de Hamer e a localização no órgão correspondente, como doença.
O conteúdo dos conflitos é determinado no momento em que o choque conflituoso ocorre. No momento exato do incidente, o nosso subconsciente associado ao evento e a certos temas de conflitos biológicos tais como medo da fome, território ou morte (nosso sentimento subjetivo por trás do conflito) determina qual parte do cérebro receberá o choque de conflito e, consequentemente, qual o órgão ou tecido será afetado. O que uma pessoa experimenta como um conflito de separação pode ser experimentado de forma bastante diferente por outra. Para uma terceira pessoa, o evento poderia ser totalmente irrelevante. Além disso, um único DHS pode impactar mais de uma área do cérebro, resultando em várias manifestações de doenças correspondendo a lesões nas partes do cérebro correlacionadas. Exemplo: se um homem perde inesperadamente o seu negócio e o banco assume todos os seus bens, ele pode desenvolver angina de peito (como resultado de um conflito de perda de território), câncer de fígado (como resultado de um conflito de fome) e câncer nos ossos (como um resultado de um conflito de autodesvalorização), tudo ao mesmo tempo.
Conflitos biológicos diferem muito de questões psicológicas ou de situações de estresse diário. Problemas psicológicos para os quais temos tempo para nos preparar (mesmo que apenas alguns segundos) não deixam uma marca no cérebro e, consequentemente, não causam doença. No entanto, certo problema psicológico pode predispor uma pessoa a ser mais suscetível a um determinado tipo de choque de conflito.
O Terceiro Critério
O desenvolvimento do Programa Biológico Especial da Natureza (SBS) durante todo seu percurso desde o momento do choque conflituoso (DHS), passando pela fase de cicatrização, até o seu retorno à normalização, sempre é executado de forma síncrona nos três níveis (psique - cérebro - órgão). Com o avanço do conflito, temos a lesão no cérebro e a alteração no órgão. Assim que houver estagnação em um destes níveis, o desenvolvimento nos outros dois níveis será retardado também.
A Lateralidade
Desde que o cérebro desempenhe um papel decisivo na avaliação de cada situação, a lateralidade deve sempre ser considerada. Nossa polaridade determina em qual lado do cérebro o conflito impacta e qual o lado do corpo que será afetado. Na terapia da Nova Medicina Germânica, a determinação da lateralidade do paciente é, portanto, de muita importância.
A pessoa destra responde a um conflito em relação a sua mãe ou seu filho (a) com o lado esquerdo do corpo e um conflito com um parceiro ou qualquer pessoa, exceto a mãe ou filhos com o lado direito. Com os canhotos é o inverso. Exemplo: Se uma mulher destra repentinamente se preocupa com a saúde de seu filho, seu seio esquerdo será afetado. Em uma tomografia cerebral, a lesão correspondente, o Foco de Hamer, será encontrada no hemisfério direito, na parte do cérebro que controla o tecido mamário glandular da mama esquerda. Há sempre uma correlação de cruzamento do cérebro para o órgão. Esta regra só se aplica ao cerebelo e ao cérebro (diagrama). No tronco cerebral, a parte mais antiga do cérebro, a lateralidade é insignificante.
A destreza manual pode ser facilmente estabelecida pelo teste de bater palmas: a mão que fica espontaneamente por cima, é a mão da lateralidade dominante e revela se a pessoa é destra ou canhota.

SEGUNDA LEI BIOLÓGICA

Lei da Evolução Bifásica das Doenças
Cada Programa Biológico Especial e Significante da Natureza (SBS), é executado em duas fases, desde que haja uma resolução do conflito.
Fase de Conflito Ativo (ca-fase)
Normotonia é o estado normal do nosso ritmo dia-noite. Como mostrado na figura acima, "simpaticotonia" (dia) alterna com "vagotonia" (noite). Os termos se relacionam com o nosso sistema nervoso autônomo (SNA) que controla as funções vegetativas, tais como o nosso batimento cardíaco ou a digestão. Durante o dia, nosso organismo está em estado de ação, em simpaticotonia ("lutar ou fugir") e durante o sono em estado de descanso, vagotonia ("descansar e digerir").
A partir do DHS dá-se início a fase ativa do conflito e o indivíduo passa para um estado prolongado de simpaticotonia, o organismo todo está ligado sob o comando do sistema nervoso simpático e pode apresentar os seguintes sintomas: perda de apetite, insônia, fadiga, perda de peso, pensamentos fixos (remoer pensamentos) e mãos frias.
Suspensão de Conflitos
Se não formos capazes de resolver o conflito ou se uma solução factível não pode ser alcançada, não podemos deixar o nosso local de trabalho ou os nossos relacionamentos infelizes, temos a chance de conscientemente diminuir o grau do conflito, quer intelectualmente, psicologicamente ou espiritualmente. Através da diminuição do grau do conflito, conseguimos diminuir a intensidade do conflito e, consequentemente, os sintomas, tanto no cérebro como no nível do órgão. Podemos conviver com tal conflito reduzido até uma idade avançada, como por exemplo, um tumor no cólon, desde que ele não cause qualquer obstrução mecânica e se nenhum órgão produtor de hormônio, como a tireoide, estiver envolvido. Mas temos que ter em mente que transformar um conflito em um conflito suspenso só pode representar uma alternativa secundária porque a cura só pode ser definitiva quando o conflito é completamente resolvido.
O foco da terapia da Nova Medicina, ou da Leitura Biológica é identificar a origem do DHS (choque conflituoso) e encontrar uma solução para o conflito tão real e tão prática quanto possível. Por exemplo, um homem que perdeu seu negócio e sofre uma perda territorial deve encontrar uma nova ocupação, o choque de uma aposentadoria precoce e inesperada pode ser resolvido através da criação de uma nova atividade, como se associar a um clube ou assumir um hobby negligenciado. Assim que o conflito seja resolvido, a cura segue seu curso natural.
CL – Conflictólise - é o ponto de virada e de resolução do conflito. A conflictólise marca o término da fase ativa e o início da fase de reparo (cicatrização). Como na fase de conflito ativa, o progresso na fase de cicatrização ocorre também de forma síncrona nos três níveis.
Fase de Reparo ou Cicatrização – Fase PCL (Pós-Conflictólise)
Nível psíquico: A resolução do conflito vem com um sentimento de grande alívio.
Nível vegetativo: o tônus vegetativo, instantaneamente, muda para a prolongada vagotonia (uma extensão do ritmo noturno). Fadiga, fraqueza e um bom apetite são sintomas típicos. A fase de cicatrização é também chamada de fase de calor, porque durante a vagotonia os vasos sanguíneos são dilatados resultando em mãos quentes, inflamações e possível febre. Do ponto de vista biológico, o prolongado tônus de descanso é caracterizado por fadiga e bom apetite, auxilia o processo de reparação e restauração da saúde.
Nível cerebral: Em paralelo com a psique e com o órgão, a lesão do cérebro também começa a cicatrizar. Durante a primeira parte da fase de cicatrização (fase pcl) a água e licor são atraídos para a área lesada criando um edema cerebral para proteger o tecido cerebral durante o processo de reparação. É este inchaço (edema cerebral) que causa os sintomas típicos de reparo cerebral com dores de cabeça, tonturas ou visão dupla (diplopia). Em uma tomografia do cérebro, o Foco de Hamer (os anéis concêntricos da lesão em forma de alvo) que submerge no edema, aparece agora na fase de resolução com uma aparência diferente, como uma mancha borrada indistinta e escura.
A fase de reparo pode ser dividida em três etapas: a primeira é chamada de exsudativa ou inflamatória, a segunda de crise epileptóide ou releitura do conflito e a última de cicatricial. Devido à evolução sincrônica cerebral e orgânica, os Focos de Hamer entram em edema (inchaço) na fase exsudativa, e para frear esta situação, a qual poderia levar a um edema brutal, a crise epileptóide cria uma hiper ativação do sistema simpático. Neste momento, ocorre um aumento dos sintomas da fase ativa. Esta releitura do conflito ocorre essencialmente à noite, entre as 23 e as 3 horas e pode ser de todas as intensidades possíveis. O fim da crise epileptóide é marcado pela eliminação dos edemas com o aumento da diurese.

TERCEIRA LEI BIOLÓGICA

O Sistema Ontogenético das Doenças

A Terceira Lei Biológica da Nova Medicina Gemânica amarra os resultados das duas primeiras leis no contexto da embriologia e da evolução do homem. Ela ilustra a correlação biológica entre a psique, o cérebro e os órgãos de um ponto de vista evolutivo. Os folhetos embriológicos mantêm a memória dos programas de sobrevivência desenvolvidos pela natureza, desde o aparecimento dos seres vivos. O endoderma é relacionado a tudo que é vital e está representado no tronco cerebral. O mesoderma antigo é relacionado ao ataque à integridade e está representado no cerebelo. O mesoderma novo é relacionado às desvalorizações e impotências e está representado na substância branca e o ectoderma, tecido relacionado às separações, está representado no córtex cerebral.
Teoria da Metástase
A teoria padrão da medicina sobre a metástase sugere que as células cancerígenas de um tumor primário viajam através da corrente sanguínea ou do sistema linfático para outras partes do corpo, onde causam um crescimento canceroso em um novo local. Teoricamente, esta hipótese implicaria num risco potencial de se contrair um tumor através de uma transfusão sanguínea. A Nova Medicina Germânica não contesta o fato da ocorrência de cânceres secundários e terciários. No entanto, de acordo com as Cinco Leis Biológicas, cânceres secundários e terciários não é o resultado da migração de células cancerosas, mas de um segundo conflito (segundo DHS) ou terceiro, muitas vezes, provocado por um choque de diagnóstico ou prognóstico que põe o indivíduo em pânico total, causando um novo conflito ou até mesmo vários novos conflitos e levando ao câncer adicional. Por exemplo, um choque devido ao diagnóstico de câncer pode desencadear um "conflito de susto de morte", levando ao desenvolvimento de um câncer de pulmão.
Sabemos também, a partir do estudo histológico, que as células cancerígenas não podem se transformar em outro tipo de célula, pois elas nunca podem cruzar o limiar da camada germinativa ou alterar sua estrutura histológica. As células cancerosas que crescem no cólon e pertencem à endoderme (tecido embriológico que origina as vísceras), dirigido a partir do tronco cerebral, não podem em hipótese alguma se transformar em células ósseas, as quais se originam a partir do mesoderma novo (tecido embriológico que origina os ossos), que é dirigido a partir da parte alta do tronco cerebral e substância branca dos ventrículos cerebrais. Em outras palavras: o câncer de cólon nunca pode se espalhar para os ossos. No entanto, um paciente com câncer que se sente desvalorizado, porque repentinamente está doente ("eu não valho nada", "eu sou inútil"), pode sofrer um conflito de autodesvalorização, resultando em câncer ósseo. Se esta autodesvalorização é menos grave, os nódulos linfáticos provavelmente serão afetados. Assim, uma mulher que experimenta um choque de diagnóstico de câncer de mama ou sofre um abalo em sua autoestima depois de uma amputação da mama, frequentemente desenvolve linfoma próximo ao local onde ela tinha o tumor. Graças à Nova Medicina Germ, agora começamos a entender porque estatisticamente uma mulher com câncer de mama apresenta frequentemente este tipo de câncer secundário.

QUARTA LEI BIOLÓGICA

O Sistema Ontogenético dos Micróbios
A Quarta Lei Biológica da Nova Medicina Germânica aborda o papel dos micróbios no contexto da evolução e em relação às três camadas germinativas (endoderma, ectoderma, mesoderma) das quais nossos órgãos se originam.
Ectoderma – vírus Mesoderma – bactérias Endoderma – micobactérias, bactérias e fungos
O diagrama acima ilustra a classificação dos micróbios em relação à sua idade ontogenética e a sua camada germinativa específica.
Quando nossos órgãos se desenvolveram ao longo da evolução, muitos tipos específicos de micróbios se desenvolveram com eles. O propósito biológico dos bilhões de microorganismos que habitam o nosso corpo é preservar os diferentes tecidos e mantê-los em um estado saudável. Micróbios, tais como fungos e bactérias, são os nossos ajudantes leais indispensáveis para nossa sobrevivência.
É descoberta do Dr. Hamer que os micróbios se tornam, sem exceção, ativos somente na fase de cicatrização. Na fase de normotonia, bem como na fase de conflito ativo, eles estão adormecidos e não causam qualquer infecção. Mas, no momento da resolução de conflitos (CL), eles recebem um sinal do cérebro para iniciar o trabalho que lhes foi atribuído. Micróbios ativos são totalmente inofensivos a todos os outros órgãos. Os micróbios são especializados em relação ao modo de sua atuação.

QUINTA LEI BIOLÓGICA

A quintessência
Toda “doença” deve ser entendida como um Programa Biológico Especial e Significante da Natureza (SBS), criado para resolver um conflito biológico inesperado. O programa biológico tem por sentido inteligente dar mais chance de sobrevivência.
Exemplo: Uma mulher está caminhando com seu filho ao seu lado e seguro pelas suas mãos. De repente, ele chora e corre para a rua e é atropelado por um carro. No momento em que uma mãe vê seu filho ferido, ela sofre, em termos biológicos, um conflito de preocupação mãe-filho e em uma fração de segundos o Programa Biológico Especial para esse conflito particular é acionado. A preocupação mãe-filho no momento do choque de conflito biológico (DHS) sempre impactará a área do cérebro que controla a função das glândulas mamárias. Uma vez que, em termos biológicos, uma prole ferida recupera-se mais rápido quando ela recebe mais leite, a produção extra de leite é imediatamente estimulada pelo aumento do número de células da glândula mamária. Mesmo se a mulher não está amamentando, o evento ainda desencadeia o início desta resposta, uma vez que isso vem sendo feito ao longo de milhões de anos. Enquanto a mulher está na fase de conflito ativo, por exemplo, porque a criança ainda está no hospital, às células mamarias irão manter-se dividindo e multiplicando, formando o que é comumente chamado de tumor glandular mamário. Se a mulher for destra, o tumor será em seu seio esquerdo, se for canhota o seio afetado será o direito (lateralidade). Assim que o conflito seja resolvido (digamos, a criança é liberada do hospital), o tumor para de crescer imediatamente. Uma vez que a criança está fora de perigo, não há mais a necessidade de produzir células extras pela glândula mamária. Durante a fase de cura ou cicatrização, as células agora supérfluas serão discriminadas com a ajuda de microbactérias que foram treinados para fazer exatamente isso. Se a fase de reparo não for interrompida, deixando-a completar seu percurso, o tumor será completamente removido com a conclusão do processo de cura.

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

O que não te deixa dormir???



O que não te deixa dormir?
Estima-se que um terço da população geral sofra de dificuldades em dormir. Dormir mal ou em quantidade insuficiente tornou-se, com efeito, uma queixa de saúde pública extremamente prevalente. Estudos indicam que 5% dos pacientes com insônia consultam os cuidados primários de saúde e 69% nunca mencionaram aos médicos suas dificuldades de dormir. Quando crônica, geralmente reflete distúrbios psicológicos e comportamentais.
As consequências da insônia são preocupantes. Acarretam efeitos adversos para a saúde física, desencadeando fadiga diurna, risco de doenças cardiovasculares, gastrointestinais e psiquiátricas. Interferem, simultaneamente também, no desempenho profissional e nas relações interpessoais. A insônia também está relacionada com o aumento do uso de medicação psicotrópica e com o risco de abuso de outras substâncias.
A insônia é experimentada de forma única por cada doente, pode ser definida, de acordo com a Classificação Internacional das Desordens do Sono, como uma dificuldade em iniciar o sono (insônia inicial), dificuldade em manter o sono (insônia intermédia), acordar muito cedo (insônia terminal) ou, embora com menor frequência por uma queixa de sono não restaurador ou de má qualidade.
Uma noite de insônia pode ser desencadeada se num momento surgir um episódio de estresse como um problema profissional, um conflito conjugal ou a perda de um amigo.
Além de ser o distúrbio do sono mais comum, a insônia está diretamente associada aos transtornos psiquiátricos. Estudos epidemiológicos demonstram que sua persistência é um fator de risco para a depressão, além de que, cerca de 80% dos pacientes com este transtorno se queixam de alterações no padrão do sono, especialmente de insônia terminal. Já os transtornos ansiosos e os do pânico parecem estar mais associados aos tipos, inicial e de manutenção (intermédia).
Na avaliação etiológica da insônia, precisamos aprender a valorizar e investigar os aspectos emocionais tão sistematicamente quanto fazemos em relação aos aspectos orgânicos. O diagnóstico psicológico deve ser tão ativo quanto o orgânico.
Nas crianças o medo de ficar sozinho pode estar associado, ao fato de presenciar brigas entre os pais, à exposição a filmes ou histórias violentas, ou qualquer outro evento assustador. Perda dos pais ou irmãos e estresse pós-traumático são situações frequentemente associadas a alterações no sono em crianças, assim como problemas em instituições (creche, escola, clube) abuso/ violência física ou sexual. Em adolescentes e pré-adolescentes, depressão e ansiedade são causas freqüentes de insônia.
Muitas vezes nos casos de dificuldade em pegar no sono, encontramos pessoas em fase de estresse de situações, em geral, onde a pessoa ainda está tentando processar o que está acontecendo, tentando achar uma solução para o ocorrido, ou permanece não aceitando o que aconteceu. Já a perda de sono no meio da noite pode estar relacionada a situações pós-estresse, como quando a pessoa já saiu da fase crítica, mas durante a madrugada, em torno das 3 horas da manhã, ocorre uma releitura do sintoma, como se o corpo estivesse se preparando para voltar ao funcionamento normal. Há também os casos onde as pessoas possam ter vivido um estresse específico durante a madrugada, como por exemplo, uma notícia de um acidente ou uma morte, onde lhe ligam pela madrugada e é acordado de sobressalto, ou quando estava em uma festa pela madrugada e ocorre um incidente de grande incomodo, desta forma, naquele horário do ocorrido, o cérebro volta a se reativar nos próximos dias, lhe deixando em alerta, caso o incidente ocorra novamente. E ainda há aquelas situações onde a pessoa está vivendo uma grande indecisão em sua vida, preocupada com alguma decisão que terá que tomar, ou sofrendo antecipadamente por algo que está para acontecer.
Estas informações fazem sentido para você? Há algo em sua vida que se encaixe nestes estresses ou preocupações?
Então aproveite para olhar dentro de você, para tentar identificar os motivos de seu sono não estar da forma que você gostaria e tente solucionar este problema, desabafando com alguém, pedindo ajuda, ou simplesmente deixando o ocorrido de lado e focando em outras situações mais relevantes, para que então você possa ter um sono por total reparador e um dia mais energizado. 
A microfisioterapia e a Leitura Biologica pode te ajudar!!
Clínica Ágape fisioterapia & Acupuntura
Rua Esteves Kristensen 441, em Piraju
fone 33518867 ou whats: 997621521

Curso de BARRAS DE ACCESS CONSCIUSNESS

Em Piraju na Clínica Ágape fisioterapia e acupuntura
CURSO DE BARRAS DE ACCESS CONSCIOUSNESS®
As Barras de Access Consciousness® é um processo terapêutico transformador que funciona através de toques suaves em 32 pontos na cabeça que se conectam com diferentes aspectos de nossa vida e que armazenam componentes eletromagnéticos das sinapses neurais de todas as experiências negativas que já vivemos e que condicionam os padrões de nossa personalidade que nos causam sofrimentos e limitações.
Cada ponto possui registros de milhares de informações limitantes que, por sua vez, impedem o nosso desenvolvimento pleno e a conexão com nossa essência divina.
BARRAS E A NEUROCIÊNCIA
Durante uma sessão de Barras de Access as ondas cerebrais se abrandam permitindo que a carga eletromagnética dos registros que as experiências negativas proporcionaram ao nosso SER sejam liberadas, alterando o significado destas experiências e abrindo espaço para que possam ser criadas novas possibilidades em nossa vida. É como se deletássemos arquivos de nosso disco rígido que estão causando problemas. Desta maneira podemos ver o mundo, a nós mesmos e as
pessoas com outros olhos.
Estudos independentes estão mostrando também melhora na adaptação ao stress do dia a dia, melhora do sistema neuroendócrino, neurovegetativo, melhora da coerência cerebral, melhora do estado psicoemocional, aumento da clareza mental, melhora da energia vital, diminuição de dores e inflamações no corpo, desintoxicação, entre outros benefícios!
A SESSÃO
Quando as barras são ativadas por um terapeuta, inicia-se a liberação dos registros negativos dos pensamentos, sentimentos e emoções armazenadas ao longo de todas as nossas vidas, que nos impedem de ir além dos padrões limitantes que estamos acostumados.
É iniciado um processo de limpeza e de forma fácil são destravados condicionamentos e liberadas as programações que causam limitações e desconfortos, que nos impedem de ser o nosso melhor, de termos acesso a todas as nossas potencialidades internas, de estarmos abertos e em conexão com a energia do nosso Eu Superior.
O pior que pode acontecer ao receber uma sessão de Barras é desfrutar de uma maravilhosa massagem e na melhor das hipóteses, você criar uma vida totalmente diferente e que sempre desejou!
INDICAÇÕES:
As Barras de Access Conciousness® podem ajudar na superação de muitas dificuldades:
Ansiedade, depressão, síndrome do pânico, luto, frustrações, problema de sono, déficit de atenção, hiperatividade, personalidade obsessiva-compulsiva, autismo, doenças físicas, traumas, entre outros.
Há muitos depoimentos dessa cura, inclusive do Dr. Dain, co fundador de Access Consciousness que se curou com as Barras de Access quando já estava querendo tirar a própria vida!
Os benefícios imediatos mais comuns após uma sessão de Barras de Access:
- melhora da clareza, disposição e concentração mental e da capacidade de resolver problemas;
- redução da ansiedade, depressão, pensamentos agitados e problemas de sono;
- aumento da alegria, da satisfação e da motivação diante da vida;
- relaxamento profundo, mais energia, disposição e ânimo;
- eliminação de padrões de comportamento negativo;
- recuperação rápida de cirurgias com menos dores;
- redução de conflitos internos e externos;
- fortalecimento do sistema imunológico;
- redução de tensões físicas e mentais;
- alívio de traumas e de stress;
- paz interior.
O CURSO:
Pode ser realizado por todas as pessoas e ele tem a capacidade de abrir possibilidades em qualquer área da vida.
Pode ser feito com o objetivo de crescimento pessoal, para ajudar familiares e amigos, para se tornar um terapeuta e receber por isso!
É para todos que desejam que sua vida seja mais leve, mais fácil, mais saudável, mais próspera e mais divertida!
Quer saber mais?
Seguem 3 vídeos que gosto muito:
A hora é agora? Então escolha!
Em março dia 11, de 2018
Informações e inscrições: 1433518867 ou whats da clínica: 14997621521

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

O quatro níveis da Nova Medicina Germânica (Germanische Heilkunde)

O quatro níveis da Nova Medicina Germânica (Germanische Heilkunde)



Dr. Hamer estabeleceu as bases da Nova Medicina Germânica nos folhetos embrionários e cérebro. Estas bases obedecem a lógica do comportamento dos seres vivos desenvolvido ao longo dos milhares de anos de evolução.
Dr. Hamer observou que apesar de termos somente 3 folhetos embrionários, endoderme, mesoderme e ectoderme, ele dividiu o mesoderme em duas partes, nomeando uma parte de mesoderme antiga e a outra de mesoderme simplesmente. Cada um destes 4 folhetos embrionários é regido por uma área cerebral.

Cada um destes folhetos embrionários dá origem a órgãos e tecidos que compõem nosso corpo.

O folheto embrionário Endoderme dá origem aos órgãos vitais, ou seja, Pulmão e aparato respiratório, Rins, Fígado, Pâncreas, útero, próstata, ovários, testículos, intestinos, esôfago, entre outros órgãos, glândulas e tecidos do aparelho digestivo. Este folheto é regido pelo Tronco cerebral e rege, desta maneira, nosso dia-a-dia buscando a manutenção da vida: alimentar-se e suprir suas necessidades básicas para sobrevivência. Portanto, quando um dos órgãos ou tecidos originários do Endoderme "adoece" ou "está com disfunção", algo aconteceu na sobrevivência, ou seja, o indivíduo passou por um conflito de sobrevivência ou vital.

O folheto embrionário Mesoderme antigo dá origem aos tecidos de proteção dos órgãos vitais, tais como pleura, pericárdio, peritônio, opíplon, derme e relaciona-se ao cerebelo. Este folheto é responsável pelo cuidado consigo mesmo, com sua família, com seus amigos, com sua casa, com seu trabalho. Quando um destes tecidos "adoece", algo nos feriu ou feriu alguém ou algo, o indivíduo passou por um conflito de ataque à sua integridade ou de alguém ou algo.

O folheto embrionário Mesoderme dá origem aos tecidos de sustentação e preenchimento, tais como, músculos, ossos, cartilagens, vasos sanguíneos e linfáticos. É regido pela medula cerebral e rege nossa necessidade de movimentar-se, buscar posição perante os demais, conquistar espaço e buscar novos horizontes. Quando algo acontece com um ou mais tecidos da mesoderme, passamos por um conflito de impotência, de desvalorização, de perda de status, de perda de posição.

O folheto embrionário Ectoderme dá origem aos tecidos de contato e sistema nervoso. Ambos tem o sentido biológico de fazer contato com o meio ambiente. É regido pelo córtex cerebral e atua na comunicação, nas relações, nas crenças, na escala de valores, no contato, nas separações, nas perdas de território.

Conhecer os tecidos e órgãos e suas funções, e também os conflitos associados a cada um deles, é o que dr. Hamer pesquisou e nos deixou como legado, um conhecimento maravilhoso e fantástico, aplicável em todos os casos e com uma resolução muito acima do esperado.

A Nova medicina germânica ou Germanische Heilkunde, como dr. Hamer rebatizou, é uma maneira de olhar para as doenças não como doenças e algo ruim, mas como um Programa Especial, Biológico e Sensato da natureza que está buscando sempre a nossa evolução como espécie e buscando alternativas e formas para tornar o ser humano cada vez mais adaptado ao seu meio ambiente.


A leitura biológica aliada a Microfisioterapia

A leitura biológica das doenças
Ferramenta complementar à microfisioterapia, a chamada ‘nova medicina germânica’ busca a relação entre as emoções e patologias para buscar a cura
Fabiana Rosolen
O corpo fala! Esta relação essencial entre o ser e a vida é, para a “nova medicina germânica”, uma poderosa ferramenta para compreender o elo entre emoções e patologias. A leitura biológica ‘penetra surdamente no mundo’ das emoções para dar pistas em relação a origem para distúrbios, doenças.
Para a leitura biológica, conta a fisioterapeuta Fabiana rosolen, a compreensão da relação entre emoção e patologia dá o caminho para outro binômio, o sintoma-doença. Aqui, essencialmente, pode estar a informação necessária para compreender como nosso organismo está se adaptando a eventos agressores, como o estresse por exemplo.
“A leitura biológica é uma técnica complementar à microfisioterapia. Enquanto a micro atua sobre a estrutura, a identificação da memória celular, no físico. A leitura biológica permite mostrar a interação entre o psíquico, o cérebro e o órgão”, posiciona.
São nesses três níveis que se formam as correlações capazes de levar à compreensão da origem de patologias. “A ferramenta é baseada no estudo da filogênese, da embriologia, da ontogênese e da etologia, o estudo do comportamento animal. A construção da técnica também investiga a memorização da informação no corpo diante de um determinado evento agressor”, prossegue.
Idealizada pelo osteopata belga Emmanuel Corbell e inspirada nas pesquisas do médico oncologista alemão, Ryke Geerd Hamer, o criador da nova medicina germânica, o tema também teve importante contribuição da pesquisadora francesa Josie Kromer. O impacto da vivência das gerações precedentes no histórico de vida de cada ser humano levaram à formação da grade de informações familiares.
De acordo com os fundamentos da leitura biológica, o que chamamos de doença não são ocorrências resultantes de mau funcionamento do organismo. Relacionar as patologias com o que aconteceu em nossas vidas, nas gerações precedentes, é o eixo central para a compreensão de somatizações ou “sofrimentos do corpo”.
A literatura sobre a leitura biológica diz que, ao estudar manchas redondas no cérebro, em tomografias, Hamer percebeu que estas apareciam em “locais” específicos. “Ao relacionar os sintomas apresentados pelos pacientes ao tecido do órgão atingido e os níveis cerebrais específicos, a leitura biológica permite mapear o cérebro. Dependendo da localização da mancha no cérebro é possível investigar qual o tipo de agressão ou conflito vivido e o tecido que apresenta os sintomas desse sofrimento”, acrescenta.
Fabiana enumera que os tecidos em estado de “sofrimento” podem ser desde um órgão até uma estrutura óssea, ou seja, entre eles o conjuntivo, nervoso, ósseo, muscular, epitelial, etc.. Mapeada qual parte do corpo esse evento de agressão atingiu chega-se ao que chamamos de ‘doença’, ou disfunção.
Para a fisioterapeuta, que estuda a leitura biológica e divise seu tempo com a clínica de fisio em Piraju, o uso das duas ferramentas – leitura biológica e microfisioterapia – “fecham o cerco para a identificação do conflito, a forma como isso está agindo sobre o corpo, qual o tecido que apresenta os sinais de perda de vitalidade celular e a origem”. É uma “conversa” através das técnicas entre o psíquico, o cérebro e o órgão atingido.
As respostas
Como cada pessoa reage, ou não reage, de forma diferente aos eventos agressores traumáticos, essa “percepção” vai afetar, ou não, os órgãos.
“Alguns reagem, o organismo se defende. Em outros, o mesmo trauma provoca ‘feridas’ profundas. Em outros o sofrimento persiste por toda a vida. Analisar o sintoma físico, presente na microfisioterapia, com a ajuda da leitura biológica, permite ao terapeuta a identificação entre origem e causa. O que os estudos de Hamer mostram é que para uma mesma área cerebral estão relacionadas as mesmas patologias”, enfatiza Fabiana Rosolen
Fisioterapeuta pela Universidade Estadual de Londrina (PR), acupunturista,RPG, Pilates, Fabiana Rosolen elenca, em material a respeito, as cinco leis biológicas propostas no trabalho de Hamer.
O primeiro critério é que um evento traumático agudo ocorre simultaneamente na psique, cérebro e órgão. A perda inesperada de um parente, o divórcio, a raiva, o medo, todos são exemplos de potenciais desencadeadores desse processo.
Em seu trabalho, Fabiana Rosolen pontua que o choque interrompe as funções biológicas normais do organismo. Então, o cérebro ativa o programa biológico para lidar com a situação. No nível psíquico vivenciamos o estresse emocional, no nível mental, o evento atinge uma área específica do cérebro, gerando lesão, etc. Segundo Hamer, a natureza do conflito traz localização do foco.
No nível dos órgãos, o conflito interfere na multiplicação celular. Nesta fase acontece o crescimento de um tumor ou diminuição (necrose por exemplo), ou o funcionamento irregular do organismo relacionado ao órgão que “sofreu” ou “assimilou” (somatizou) o trauma.
Outros elementos, como o lado do cérebro afetado, são fundamentais no mapeamento. Além disso, cada pessoa reage de forma diferente a um mesmo tipo de trauma. Mas a teoria da leitura biológica percorre os caminhos entre órgão, cérebro e psique para estabelecer os elos em relação à doença ou queixa. A lateralidade também interfere no posicionamento da lesão, se do lado esquerdo ou direito.
A chave da questão é resolver o conflito, reprogramar as conexões entre origem e somatização, por exemplo. “A leitura biológica permite a cicatrização do conflito a partir da compreensão dessa relação entre origem, processamento do trauma pelo cérebro e o psíquico, questões que não costumamos relacionar no cotidiano”, amplia Fabiana Rosolen.
Marque uma sessão pelo whats: 14 997621521 ou pelo telefone1433518867, a clínica fica proxima ao restaurante terra nova

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Endometriose - Segundo Jacques Martel

Endometriose - Segundo Jacques Martel


"Endometriose é uma afecção inflamatória provocada por células do endométrio que, em vez de serem expelidas, migram no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a multiplicar-se e a sangrar"

Em seu livro Jacques Martel associa a endometriose a uma recusa inconsciente da maternidade devido a associação frequente da relação atual ou passada entre mãe e filha ou o legado deixado desta relação (tanto a nível físico quanto emocional), sentimentos como quem sou ou onde é o meu lugar neste mundo são comuns nestes pacientes.

Outra característica é a dificuldade de posicionar-me contra as opiniões maternas, que foram tão influentes no processo de estruturação da vida da paciente, o medo de expor a opinião própria. É possível que a mãe nesta história tenha dado amor e carinho, porém existe uma negação, devido ao arquétipo deturpado do conceito maternidade.


Preocupações excessivas quanto as responsabilidades maternais são comuns:

Será possível conceder ao filho uma família perfeita? Um bom "ninho"?

Será que em outro lugar ele não estaria melhor protegido?


Solução proposta: Tomar consciência de seus medos e inseguranças, não ter medo de expressar abertamente seus sentimentos, não permitindo mais abusos contra minha vontade e assim expressar toda criatividade e capacidade maternal existente.

Postagem em destaque

O Tratamento da Dor Crônica Através da Microfisioterapia

Muitas pessoas tendem a ignorar alguma dor que sentem, não dando a ela a devida importância. É preciso lembrar sempre que dor é um aviso do...